I give my heart to you

Dream
Home
Ask-me submit
©Distorcida





“O que é que faz a gente se apaixonar por alguém? É o jeito. A gente se apaixona pelo jeito da pessoa. Não é porque ele cita Camões, não é porque ele tem olhos azuis: é o jeito dele de te dizer versos em voz alta como se ele mesmo os tivesse escrito pra nós. É o jeito dele de piscar demorado seus lindos olhos, como se estivesse em câmera lenta. O jeito de caminhar. O jeito de usar a camisa pra fora das calças. O jeito de passar a mão no cabelo. O jeito de suspirar no final das frases. O jeito de beijar. O jeito de sorrir. Vá tentar explicar isso.”
Martha Medeiros.  (via acumulou)


“Eu adoro você. Eu amo deitar ao seu lado, e eu poderia fazer isso durante toda a eternidade. Você e eu, nós fomos feitos assim e naturalmente, eu não sei o que fazer quando você vai embora. Quando você diz que me ama, sei que eu te amo mais. E quando você diz que precisa de mim, sei que eu preciso de você ainda mais.”
— Miley Cyrus.   (via deixe-me-levar-todo-o-tempo)

“Não crie expectativas. Ser surpreendido é bem melhor do que ser decepcionado.”
Dr. House.  (via o-rgastico)



“Não importa o quanto uma pessoa te faz sofrer, você sempre vai lembrar o quanto ela te fez sorrir.”
Desconhecido.    (via auroriar)

“Amar de longe não é fácil. É complicado não acordar com aquele cheiro, aquele calor do corpo, aquele abraço. É doloroso não ter aquela voz no ouvido, aquele colo, aquela risada boa e boba. Pode ser logo ali, naquela cidade que fica a quarenta e cinco minutos de avião. Pode ser lá longe, em outro país. Pode ser em outro estado. Pode ser do outro lado do oceano. Não importa: a saudade arde. Mas serve para nos mostrar como o outro é importante. Serve para mostrar como pequenas coisas fazem falta. A saudade faz a gente prestar mais atenção no outro. E, principalmente, a saudade mostra o que é de verdade. Porque só os amores guerreiros sobrevivem ao tempo e à distância.”
Desconhecido.  (via auroriar)

“Não eram um casal perfeito, daqueles de cinema. Brigavam muito, ficavam um tempo sem se falar e nesse intervalo ainda rolava uma guerra de indiretas, cada um querendo ser o dono da verdade. Mas no fundo eles sabiam que tudo era joguinho bobo de orgulho, e que por trás das caras fechadas e bicos não se aguentavam de saudade. Tudo bem se eles passavam uma imagem de cão e gato, mas uma coisa é certa… Eles se amavam mais do que qualquer coisa.”
Caio Fernando Abreu.  (via lesad0)

revenge-tv:

Revenge Merchandise: http://bit.ly/JYDTq4